Vice-prefeito Carlos Hilton Soares participa da posse do novo chefe-geral da Embrapa Caprinos e Ovinos


Na última sexta-feira (13), o vice-prefeito de Sobral, Carlos Hilton Soares esteve presente na solenidade de posse do novo chefe-geral da Embrapa Caprinos e Ovinos, Marcos Bonfim, que assumiu a missão de conduzir o centro de pesquisa pelos próximos três anos. “Eu fico muito feliz em estar participando de um momento como este. É um momento que nos enriquece, nos faz crescer, sobretudo como gestor, desejando muita sorte ao Marco Bonfim em nome da sociedade sobralense”, destacou Carlos Hilton.

Para o Vice-Prefeito, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária é um patrimônio, visto que atua na região há 40 anos. “A Embrapa acompanhou a evolução pela qual nossa cidade está passando hoje. A nova chefia pode contar com o apoio e a parceria da Prefeitura de Sobral. Estaremos sempre à disposição para que ela continue com suas ações aqui na nossa região”.

Para a secretária da Agricultura e Pecuária de Sobral (Seagri), Luiza Bareto, “a Embrapa é um parceira importante da Prefeitura de Sobral. Na área da pesquisa em caprinos e ovinos, é uma instituição de ponta. Ela difunde e transfere tecnologias para o mundo inteiro”, ressaltou.

Também participara da cerimonia, a presidente em exercício da Embrapa, Vânia Beatriz Rodrigues Castiglioni; a secretária de Urbanismo, Patrimônio Histórico e Meio Ambiente de Sobral (Seurb), Gizella Gomes; a controladora e ouvidora de Sobral, Fátima Lúcia Dantas; além de autoridades políticas, civis e militares.

Nova chefia

Marco Bomfim é graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual do Maranhão e pós-doutor pelo International Center for AgriculturalResearch in theDryAreas (ICARDA) em Aleppo, na República da Síria e pela Texas A&M University, CollegeStation-Texas-USA. É pesquisador da Embrapa Caprinos e Ovinos desde 2002, sempre atuando na área de Nutrição Animal. Entre 2009 e 2011, foi chefe adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento da Unidade.

Entre os principais objetivos da nova gestão está o de ampliar os impactos dos resultados de pesquisa no meio rural. “O foco do trabalho será atuar mais próximo aos arranjos produtivos locais, em sinergia com políticas públicas e com inteligência territorial, sendo esta a estratégia para impulsionar a adoção de tecnologias no campo”, destacou.