Sobral Novo Centro | Infraestrutura da internalização da rede elétrica e de telecomunicação está em fase de conclusão


Acompanhando de perto o andamento das obras do Sobral Novo Centro, o prefeito Veveu Arruda esteve reunido, na quinta-feira (3), no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em Brasília, com o diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida. Com a participação do coordenador de Energia e Comunicação da Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado do Ceará, Elpídio Câmara, a reunião tratou de ajustes finais do contrato de internalização da rede elétrica e de telecomunicações, que está com 97% da infraestrutra concluída.

Na ocasião, o prefeito também tratou da liberação de recursos para conclusão das obras de requalificação da Praça Senador Figueira (Praça do Antigo Fórum), com 60% das obras concluídas; e da Praça Samuel Pontes (Praça João Pessoa), com 40% dos serviços executados. Também dentro do Sobral Novo Centro, a Praça Cel. Manuel Arthur da Frota (Praça da Várzea) está praticamente pronta e deverá ser inaugurada ainda neste mês de dezembro.

"Temos em Sobral o maior e mais arrojado projeto em execução no Brasil, considerando o conjunto de obras do Sobral Novo Centro, que dará uma melhoria significativa na qualidade urbana do Centro da cidade de Sobral e na qualidade de vida da nossa população”, avaliou o Prefeito Veveu, que este ano já inaugurou as Praças do Bosque, do Amor e do Patrocínio.

O ‘Sobral Novo Centro’ é o maior projeto de requalificação de Centro Histórico em execução no Brasil. Idealizado pelo prefeito Veveu Arruda, quando era secretário de Cultura do Município, o projeto está trocando o asfalto, nas principais ruas do Centro Histórico, por blocos de concreto intertravados, nas principais ruas do centro; alargamento, retificação e padronização as calçadas, com acessibilidade para cadeirantes e deficientes visuais; internalizando a rede de energia e de telecomunicações; padronizando sinalização, iluminação e mobiliário urbano; além da requalificar praças e prédios do Centro Histórico.

O projeto conta com parcerias com o Governo Estadual e Federal, Iphan e do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).