Ciro Gomes ministra palestra 'Direito e Sociedade' no Centro de Convenções de Sobral


Falando para uma plateia de jovens estudantes de Direito, o ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes falou sobre a trajetória política e econômica do país, na noite desta segunda-feira (7), no auditório do Centro de Convenções de Sobral. Participaram do evento o prefeito Veveu Arruda, o deputado federal Leônidas Cristino, o deputado estadual e prefeito eleito, Ivo Gomes, o presidente da Câmara de vereadores de Fortaleza, Salmito Filho, entre outras autoridades. O evento foi promovido por estudantes da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e a Faculdade Luciano Feijão (FLF).





Ciro Gomes é uma das grandes esperanças para liderar um processo que impeça a solidificação de um estado de exceção em que o Brasil se encontra. Para que possamos voltar a sonhar com um processo de redemocratização e a consequente efetivação do nosso Estado Democrático de Direito”, destacou a estudante de direito da UVA, Thais Dias, uma das organizadoras do evento.



Antes de iniciar sua palestra, Ciro Gomes cumprimentou o prefeito Veveu como “exemplo de homem público, velho e querido amigo e companheiro” e agradeceu aos presentes e aos cearenses que “renovaram minha vocação, entusiasmo e disposição para enfrentar seja o que for para ajudar o país a se reencontrar com a democracia”. 


Para dar um panorama social, político e econômico do Brasil, Ciro Gomes fez um breve histórico de alguns fatos que “têm influência nos valores ou desvalores que ainda hoje impactam na nossa vida”. Citou como exemplos a questão da terra, na qual o Brasil “é o único país no mundo que não resolveu esta equação no mundo, onde se mata por acesso à terra. Isso só se explica pelo atavismo das capitanias hereditárias” e o “desprezo conceitual ao trabalho como um valor em si mesmo vem destes longos séculos de escravidão no Brasil”.



Ciro Gomes falou da trajetória econômica do país até os dias atuais. “Com a ideia nacional desenvolvimentista o Brasil se industrializa e saiu do nada para se tornar, em três décadas e meia, a 15ª economia mundial do planeta. (...) A dívida pública do Brasil levou 500 anos para chegar a 38% do PIB brasileiro e em oito anos do governo Fernando Henrique chegou a 78%. (...) E atualmente o país vivencia uma depressão econômica que já produziu quase 3 milhões de desempregados e vamos a 15 milhões de desempregados no primeiro semestre do ano que vem”.

Também participaram do evento a secretária de Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, Daniela Costa, o reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú, Fabiano Cavalcante, o chanceler da Faculdade Luciano Feijão, Luciano Feijão; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – subsecção Sobral, Rafael Ponte; além de acadêmicos de Direito.